Os produtores de vinho de Bordeaux deverão ter uma safra “excelente” neste ano após uma temporada de cultivo com um calor incomum e um verão e uma colheita excepcionalmente secos, segundo Olivier Bernard, cuja família é proprietária do Domaine de Chevalier em Pessac-Léognan, ao sul da cidade.

“2018 foi uma safra com dois períodos”, disse ele em uma degustação de vinhos da safra 2016 organizada em Londres em 16 de outubro pela Union des Grands Crus de Bordeaux. “Um período muito úmido até o final de junho e muito seco depois de julho. Já podemos dizer que temos uma ótima safra.”

Bordeaux, que continua sendo o ponto de referência para o mercado de vinhos finos devido à combinação de vinhedos de alta qualidade e produção relativamente grande, é suscetível a oscilações climáticas, ao contrário das regiões vinícolas do Novo Mundo, como Califórnia, África do Sul e Austrália, que tendem a ter um clima mais confiável. Bordeaux representou 60 por cento das negociações no mercado de vinhos Liv-ex, com sede em Londres, em termos de valor na semana finalizada em 18 de outubro, e Champagne ocupou um segundo lugar distante, com 13 por cento, de acordo com o relatório Talking Trade, da Liv-ex.

Durante a última década, Bordeaux teve safras de qualidade excepcionalmente alta em 2009, 2010, 2015 e 2016, e uma série de anos notavelmente mais difíceis entre 2011 e 2013, sendo que 2013 é lembrado por ter sido particularmente frio e úmido. Os produtores de vinho entrevistados na degustação em Londres fizeram comparações entre a safra de 2018 e as safras de destaque recentes.

Final de temporada maravilhoso

“2016 foi melhor que 2015” e “2018 será melhor que 2016”, segundo Bernard Audoy, do Château Cos Labory, da região de Saint-Estèphe, no norte de Médoc. “Estamos no nível de 2009 e 2010, mais 2010 do que 2009”. Ele descreveu a safra como excelente após um “final de temporada maravilhoso”.

Alguns produtores sofreram com o bolor porque a primavera foi úmida, mas a maioria conseguiu resolver o assunto. Embora o bolor possa reduzir o rendimento em algumas áreas, Audoy disse que a chuva na primavera “não foi um problema”.

O consultor de vinhos Michel Rolland, entrevistado no dia 16 de outubro, durante uma visita a Londres, disse que 2018 foi “uma bela safra” para Bordeaux, mas acrescentou que houve muito bolor após o clima úmido da primavera, que às vezes provocou “condições difíceis” para as videiras. Os dados meteorológicos no site infoclimat.fr mostram fortes chuvas em janeiro, março e abril, e as condições de umidade persistiram durante maio, junho e julho, enquanto agosto e, em particular, setembro foram excepcionalmente secos, ideal para a colheita.

Agora que as uvas estão nas adegas, virão mais de cinco meses de fermentação, maturação e mistura antes que a safra seja apresentada ao mercado de vinhos, no começo de abril. Os preços dos vinhos serão definidos entre abril e junho, e entrega será realizada alguns anos após a colheita.

Confira nossa seleção de Vinhos de Bordeaux

Enquanto as safras novas ainda não chegam ao Brasil, confira a nossa seleção de vinhos de Bordeaux:

Clarendelle Rouge 2014 

Um Bordeaux de coloração rubi intenso com reflexos violáceos.

No nariz, aromas de frutas negras e vermelhas maduras, notas de baunilha e toques de especiarias combinando com um paladar concentrado, de corpo médio e taninos maduros e sedosos.

Final de boca agradável e persistente. Ideal para acompanhar carnes vermelhas com molhos de média intensidade, ensopados e cordeiro grelhado.

Chateau Lynch Bages 2008

O vinho Château Lynch-Bages é um dos mais aristocráticos e tradicionais vinhos de Médoc e um dos mais notáveis vinhos de Pauillac. Apresenta um cativante bouquet de especiarias. No palato é cheio e macio, com grande persistência.

Essa é uma grande safra para o Lynch, tem potencial para evoluir e desenvolver mais sabores e complexidade.

Pontuação:
94 Wine Enthusiast
92 Wine & Spirits
91 Wine Spectator

Mouton Cadet Bordeaux 2015 

O Mouton Cadet Bordeaux 2015 é uma obra do produtor Baron Philippe de Rothschild que mescla as uvas 65% Merlot, 20% Cabernet Sauvignon, 15% Cabernet Franc.

Como resultado temos um vinho de cor granada profundo cintilante, que apresenta um forte aroma de frutas negras com amoras, com toques de tostado e especiarias finas. Estes aromas se tornam mais complexos que emanam da taça.

Especialmente equilibrado, apresenta atraente harmonia entre os taninos sedosos e o frescor da fruta. O final e longo e cheio. Um verdadeiro Bordeaux.

Cru Monplaisir 2016

Um vinho com vindima manual, vinificação tradicional e que tem tempo total de encubação de 18 dias. Seu amadurecimento é parcialmente feito em barricas de carvalho francês e 10 meses em cubas de aço inox.

Tem colocação rubi e borda purpúrea, com um nariz de fruta negra entremeada em alcaçuz, especiarias e couro que cativa.

Os taninos estão ainda um pouco firmes em boca, mas o conjunto está bem balanceado, com frescor bem integrado. Sua harmonização é clássica, com uma paleta de cordeiro grelhada, língua bovina braseada com vinho tinto, galinha d’angola recheada com couve de Bruxelas, Coq au Vin, um Reblochon fermier bem afinado e Flan de cogumelos frescos 

Chateau Barrail du Blanc Saint Emilion Grand Cru 2012 

É um super-vinho em 2012, firme de cor e com um delicioso perfume de frutas vermelhas brilhantes, doçura do paladar e uma concentração de peso sedoso, médio para o acabamento que tem bom comprimento. Você não encontrará muitos Grands Crus melhores neste nível nem os de melhor valor.
“Nós amamos este vinho. Ele vem do solo mais leve e arenoso de Saint-Suplice de Faleyrens e sempre usa seu coração em sua manga com uma qualidade avançada, mas bem densa que, no entanto, envelhece bem.”

Para todos os nossos Vinhos de Bordeaux, clique aqui.

Fonte: Exame