Estamos na semana do Jerez e a Bacco’s não poderia deixar de selecionar os melhores aperitivos espanhóis que harmonizam com uma bela mesa de tapas .

O Jerez é um vinho fortificado, ou seja, daqueles que recebem a adição de aguardente vínica. No Porto a aguardente é adicionada durante a fermentação, interrompendo-a e originando um vinho doce, enquanto no Jerez ela é adicionada após a fermentação ser concluída, dando um vinho seco.

Devido ao seu modo único de vinificação em soleras e às uvas utilizadas, seus aromas e gosto são muito particulares. O Jerez sempre é um corte de vinhos de vários anos diferentes e não de uma só safra.

Os barris são colocadas em, pelo menos, três fileiras sobrepostas. A primeira, a solera, colocada no chão, contém o vinho mais velho pronto para ser engarrafado e as que estão sobre ela denominam-se criaderas. A quantidade de vinho que é retirada da solera é reposta com o vinho da fileira logo acima, a primeira criadera, que por sua vez é completada com o vinho da fileira superior, a segunda criadera e assim por diante, até a criadera superior, a mais jovem, que é preenchida com o vinho mais novo daquele ano.

Nossa sugestão de Jerez

Tradicion VORS 30

Vinho de cor âmbar escuro com reflexos cobre, intensamente aromático e sedutor, com notas de avelãs, madeiras nobres, couro, cedro e torrefação.

Untuoso e redondo na boca, é potente, encorpado, expansivo e muito persistente, com retro-olfato sofisticado e complexo, que remete a chocolate amargo, frutas secas e fino tostado.

Inesquecível, é um vinho de exceção. Serve de companhia para um “puro” de alta qualidade, queijos curados, frutas secas, cozidos, carne de caça (faisão e javali) e carne de porco agridoce.

La Gitana Manzanilla

Cheio de charme, o Manzanilla é o mais leve e seco Jerez, perfeito como aperitivo ou acompanhando tapas.

Com seu aroma rico, marcado por avelãs, o La Gitana é considerado o melhor Manzanilla em sua faixa de preço, tendo sido eleito o “Vinho da Semana” por Jancis Robinson, que o chamou de “uma deliciosa bebida de verão”.

Para Victoria Moore, do The Guardian, trata-se de “um das melhores relações qualidade/preço do mundo”.

Tio Pepe

Vinho espanhol fino licoroso seco, elaborado com uvas viníferas da variedade Palomino *(D.O .C.).

Tio Pepe possui um aroma inconfundível e sabor de jerez “fino”, que se desenvolve devido à sua maturação biológica sob o “véo” que cresce expontaneamente na superfície do vinho.

Envelhecido em tonéis de carvalho, Tio Pepe é o produto espanhol no maior número de países.

Hidalgo

Um clássico Jerez de sobremesa, escuro , rico e moderadamente adocicado.

É obtido pelo corte de um velho e seco Jerez Oloroso com um doce Jerez Pedro Ximénes.

Pode ser tanto servido como aperitivo, como vinho de sobremesa.

Solera 1847 Cream

Do produtor: Gonzáles Byass, este Jerez tem a composição de 75% das uvas Palomino e 25% Pedro Ximénes. Amadurece na solera 1847 (grande tonel de carvalho) por 8 anos e é um excelente vinho para harmonizar com uma sobremesa

Não deixe de acompanhar outras sugestões da Bacco’s.